Bagual De Corredor

Bagual De Corredor
(Julio Fontela, Adalberto Machado, Jorge Guedes)

Da licença companheiro que o bagual vai da um relincho
Mais xucro que touro alçado mais arisco que capincho

Vim no mundo por engano não sei que jeito ou maneira
Criado a leite de égua que nem burro pra carreira

Igual pastor de manada gaudério e namorador
Arrinconado no cambicho nas tianga de corredor

Eu levo a vida no tapa e a sorte vem de arrepio
Passo o tempo gauderiando na terra que me pariu

Só não quero ajojamento gosto de andar sozinho
Sem sirigote no lombo e sem buçal no focinho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tá na rede!!!

Curta-nos no Facebook